Serão discutidos e votados três projetos de lei enviados pelo poder executivo
Vereadores demonstram discordância quanto a último decreto e criticam falta de preparo do sistema de saúde

Notícias

Público - 10 de Julho de 2020 às 11:57 - por: Francisco Privado - 10 de Julho de 2020 às 11:55 - por: Francisco Privado - 10 de Julho de 2020 às 11:51 - por: Francisco

Reunião discute soluções para crise causada por pandemia

Vereadores ouviram secretário de Saúde e representantes de entidades WhatsApp Copiar Link

Por iniciativa da Comissão Especial de Gerenciamento de Crises da Câmara Municipal de Jataí, foi realizada no dia 9 de julho de 2020, por videoconferência, uma reunião entre os vereadores e vários segmentos da sociedade. Foram discutidas as medidas restritivas do comércio local (lockdown intermitente) e a busca de soluções eficazes e menos gravosas ao comércio e a outros setores da economia e, consequentemente, à população jataiense. 

Participaram da reunião os vereadores Kátia Carvalho (presidente), Agustinho de Carvalho Filho, o “Carvalhinho”, Creso Vilela, Major Davi Pires, Maria Aparecida, a “Cida”, Mauro Bento Filho, Pastor Luiz Carlos e Thiago Maggioni, além da procuradora jurídica do legislativo Renata Silva Oliveira.

Também marcaram presença o secretário Municipal de Saúde, Luiz Carlos Bandeira, o promotor João Biffe Júnior, os presidentes da Associação Comercial e Industrial de Jataí (Acij), Francis Barros, da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Lázaro Alberto Leal, do Sinditur, Lowell Cruz, e do Sindicato Rural, Vitor Gaiardo, e o representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Subseção de Jataí, Thiago Setti.

Com exceção do secretário de Saúde e do representante do Ministério Público, o consenso entre os participantes da reunião é de que a economia do município não suporta um novo lockdown (fechamento da maior parte de estabelecimentos ligados aos setores de comércio e serviços). “Fechamento não é mais a resposta, pois foi necessário no início para que os governos se preparassem para atender os doentes, o que acabou não ocorrendo”, afirmou a presidente da Câmara, Kátia Carvalho.

Para Bandeira, não houve tempo para o fechamento fazer efeito na cidade, pois “as pessoas não se adaptaram à quarentena”. Para ele, o ideal é que os decretos municipal e estadual fossem mantidos, pois os médicos já estão tendo de escolher quem deve morrer ou não. O secretário anunciou o aumento do número de leitos de UTI no município. Com a instalação de novos respiradores, o total deve chegar a 20 nos próximos dias.

O secretário relatou que a ala Covid começou com quatro leitos de UTI exclusivos no Hospital das Clínicas Dr. Serafim de Carvalho (HC). No hospital Padre Tiago há somente uma UTI pública. Agora, a ideia é usar todos os leitos de UTI do HC para pacientes com Covid. Pacientes com outras doenças serão encaminhados ao Padre Tiago. Bandeira informou que o município ganhou na última semana 10 respiradores do governo federal e ainda no dia 9 eram esperados cinco respiradores oferecidos pelo governo estadual. Defendeu o tratamento precoce, ressaltando que não existe tratamento preventivo. Medicamentos como hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina serão prescritos a pacientes que começarem a apresentar sintomas. Sobre novas contratações, seria publicado no dia 9 um edital para novos profissionais, ainda que esteja sendo difícil encontrar pessoas capacitadas. Segundo ele, está mais difícil encontrar técnicos em enfermagem.

Entre os representantes das entidades de classe, há praticamente um consenso em torno das propostas apresentadas na reunião pelo presidente da Acij, Francis Barros. Ele sugeriu toque de recolher diário a partir das 18 horas, lockdown geral aos finais de semana e lei seca, alegando que, sem bebida alcoólica, não haverá festas, que são focos de proliferação do coronavírus.

Os vereadores aproveitaram a ocasião para esclarecer várias dúvidas junto ao secretário de Saúde. Kátia Carvalho encerrou a reunião informando que a Câmara terá em mãos um plano de ação confeccionado por várias mãos e, baseado no que foi dito na reunião, o conteúdo será enriquecido. “Na próxima reunião, já teremos algo de concreto para apresentar”, disse ela.

 


Vídeo da reunião - primeira parte

Vídeo da reunião - segunda parte